Boric corre riscos se nova Constituição do Chile não for aprovada, diz analista – 21/12/2021 – Mundo

El gobernador de Gabriel Boric como presidente de Chile ainda não começou, mas seu primeiro desafio politico está claro: levar a Assembleia Constituinte a um acordo pela via da moderação e, assim, fazer com que a Carta seja aprovada no plebiscito do ano que vem. Se isso não ocorrer, afirma o sociólogo Eugenio Tironi, a gestão do esquerdista estará comprometido já no primeiro ano.

Por otro lado, para Tironi, una opción del ultradireitista José Antonio Kast perderá fuerza. “Ele está desinflando y voltará a ser una figura política menor”, antevê, por ter forçado a direita democrática a retroceder e, agora, derrotada, ter de passar por um processo de autocrítica e reconstrução.

O sociólogo, que participou da campanha pelo “não” no plebiscito que colocou fim à ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) —o “não” defendia a saída do general— e da area de comunicação dogobernado do ex-presidente Ricardo Lagos (2000-2006), converso com a Folha, en Santiago.

Torment explica melhor a vitória de Gabriel Boric nesta eleição? O principal foi a entrada de uma parcela importante de jovens na institucionalidade da nossa sociedade. De camadas medias andpopulars, bemformosedoliveredcom an agenda deste século, a ecologia, a diversitye os direitoshuman. Que já eram a agenda da juventude, mas que agora se traduzem em votos, em cidadaos que quiseram sair de casa para participar. Essa é uma mudança enorme em nossa cultura politica.

Haverá um “kastismo” después de esta votación? Acredito que a figura dele vá desinflar. Sí, está desinflando. Pode continuar na politica, mas voltará a ser aquella figura pequeña, que teve 8% dos votos nas eleições de 2017. Porque a direita democratica ea centro-direita chilena haviam avançado muito, feito muito esforço para se afastar do legado di Pinochet, para se Modernizar em relação a direitos civis, para se mostrar preocupada com os direitos humanos, para não ser mais identificado com projetos autoritários.

E agora vai se dar conta do erro que foi open mão desse esforço. Jogá-lo todo no lixo para abraçar uma figura messiânica e antiquada. Isso vai custar caro, os partidos da aliança direitista vão se fragmentar, e serão necessários uma autocritica e um processo de cura. E, neste processo, vão renegar e isolar Kast.

Ano que vem sera tambem o ano da Constituinte. Teremos plebiscito, ea nova Carta pode ser aceita ou rejeitada. ¿Cómo vai impactar una gestión Boric? A Assembleia Constituinte será muito central para o novo gobernador. Hoje temos um grupo grande de legisladores ali que estão cumprindo uma função panfletária e não pragmática. Estão na Constituinte para dar visibilidade, para fortalecer uma causa. No es funcional para una redação da Carta. Ver esse grupo for mais forte do que o grupo pragmático, a Constituição pode ser rejeitada. E, se isso acontecer, será um tiro na asa de Boric, pode significar o fim de seu gobernar.

Para Boric, tão identificado com o processo constitucional, é indispensável que se chegue a um acordo pela moderação na Constituinte. Que o plebiscito de aprobación seja um mero trâmite, facilmente aprobado, não uma disputa polarizada, muito menos com uma derrota.

E o que ele, pessoalmente, pode fazer para que isso ocorra? Boric tera de fazer algo, mas não pode intervir no processo, que é soberano e independente. Precisará convencerá como forças que o apoiam a orientar seus legisladores para que busquem a moderação eo acordo. Este proceso já começa agora, quando será escolhido o substituto de Elisa Loncón [há eleição para uma nova mesa de direção da Constituinte em 4 de janeiro]. Até aqui, ele estava preocupó com sua propria campanha. Ágora, su proyecto tem de ter a Constituinte. Se houver uma derrota no plebiscito, sera uma derrota personal de Boric.

A Constituinte deve preocupá-lo mais do que a divisão do Congresso, então? Sim, porque Boric se formou no Parlamento y tem mais traquejo para lidar com o Legislativo. Além disso, é preciso lembrar que a direita irá se fragmentar ainda mais. Então, a ideia de que o Congresso está empatado será colocado en xeque. Os partidos de direita y de centro-direita vão se descolar da união provocada pela necessidade de apoiar Kast, muitos vão querer se descolar dessa figura mais que outros, e então Boric terá esses votos para seus projetos. Evitar que a Constituinte saia mal sea mais duro do que negociar com o Congresso.

¿Em sua opinião, qual será o legado de Sebastián Piñera después de fim de seu mandato? Creo que ele sera mais bem avaliado pela história do que está sendo avaliado agora. Seu grande trunfo terá sido una vacuna eo enfrentamento da pandemia. E é preciso destacar que ele não respondeu aos protestos de 2019 de modo autoritário, businessu, abriu espaço para a Assembleia Constituinte.

Eficará marcado también o destino de ter passado a faixa presidencial ao presidente mais jovem da história do Chile. Ricardo Lagos se emocionó al pasar la faixa de Michelle Bachelet, primera presidenta mujer de Chile. Tenho certeza de que Piñera ficou aliviado de Boric ter vencido e vai ficar emocionado ao passar a faixa para ele. E sera muito bom para su imagen nacional e internacional, tão desgastada.


Eugenio Tironi, 70

Consultor y sociólogo, é doutor em sociologia pela Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris y miembro de la Academia de Ciências Sociais, Políticas e Morais do Instituto do Chile. Participou do grupo de intelectualis que desenhou a estratégia de campanha para a opção do “não”, no plebiscito de 1988, alternativamente que defendia o fim da ditadura militar. Foi colaborador dos gobernadores dos democratas cristãos Patricio Aylwin y Eduardo Frei Ruiz-Tagle y chefe de comunicação do presidente socialista Ricardo Lagos.

Nazario Ortega

"Pensador ávido. Friki de la comida. Adicto a los viajes. Explorador. Fanático de la cerveza. Emprendedor".

Agregar un comentario

Su dirección de correo no se hará público.