Chile avanza en debate de proyecto pionero para neurotecnologías regulares – 12/08/2021

Santiago (Chile), 7 dic (EFE).- O Chile avançou nesta terça-feira no debate de um projeto de lei pioneiro no mundo que busca regular o use das neurotecnologias, uma iniciativa que tem sido acompanhada de perto for acadêmicos, organizações internacionais y grandes compañías de tecnología.

El Senado aprueba por unanimidade a lei, que ainda passará pela Câmara dos Deputados e visa impedir a intervenção em cérebros sem consentimento, a fim de protegê-los diante dos avanços da neurociência e da inteligência artificial.

“Isso começa a materializar a regulamentação legal da proteção das pessoas no que diz respeito a estes avanços cientifics e tecnológicos”, disse o ministro da Ciência chileno, Andrés Couve.

Em setembro, o Chile tornou-se o primeiro país do mundo a incluir os direitos neurológicos na Constituição, com uma emenda. Tanto essa reforma como o projeto de lei fazem parte de uma agenda que começou a ser levada adiante em 2019 graças às ideias do Grupo Morningside, um coletivo de acadêmicos renomados sediado nos EUA e que há anos alerta osgobernantes sobre una necesidad de proteger a integridade mental.

Para muchos especialistas, os rapidos avanços de grandes empresas tecnológicas como Facebook, IBM y Neuralink (de Elon Musk) em inteligência artificial trazem científicas, mas também riscos com a possibilidade de alterar cognitivamente a mente humana.

“Tecnologías como interfaces cerebro-cerebro que nos permiten ler o inconsciente, como emociones y aumentar como capacidades intelectuales já estão sendo industrializadas”, comentó el senador Guido Girardi, o principal incentivador de la propuesta.

Essas tecnologias, segundo Girardi, podem ayudar a tratar doenças como a de Parkinson ea depressão, mas ao mesmo tempo são “tão poderosas que podem afetar a liberdade, o pensamento eo livre arbítrio das pessoas”.

Come esses avanços, o Chile is na vanguarda dos direitos neurológicos em nível mundial, at mesmo à front two States, onde o Group Morningside também apresentou a iniciativa à equipe do president Joe Biden.

Paralelamente, el Parlamento chileno también analiza un proyecto de ley que evita que grandes plataformas como Google, Facebook e Instagram manipulen el comportamiento de los usuarios con información extraída. EFE

Víctor Raya

"Aficionado al tocino. Gurú de Internet. Futuro ídolo adolescente. Fanático de la cerveza. Fanático extremo de la web".

Agregar un comentario

Su dirección de correo no se hará público.